Projeto Cinema no Lina - Conde/PB

Entre 2018 e 2019, a Semente desenvolveu o Projeto Cinema no Lina na EMEF Lina Rodrigues do Nascimento, da comunidade quilombola do Gurugi-Ipiranga, Conde/PB. Esse projeto, apoiado pela Secretaria de Educação e Cultura do Município de Conde, foi um desdobramento do projeto piloto da Escola Experimental de Cinema (EEC) da EMEIF José Albino Pimentel, desenvolvido no quilombo entre 2016 e 2019.

Assim como no projeto piloto, a proposta aqui foi implementar o conceito da escola de cinema dentro da escola, com a oferta de cursos de formação de educadoras e educadores, ateliês de criação cinematográfica para os estudantes e a estruturação do cineclube da escola. Nesse processo de consolidação da Escola de Cinema, nos propomos a desenvolver uma metodologia contextualizada à realidade da comunidade escolar, e com isso incorporar a educação audiovisual no currículo da escola de modo inter e transdisciplinar.

Em 2018, o tema trabalhado pelo Grupo de Cinema do Lina foi as águas do quilombo, em convergência com o projeto interdisciplinar vigente na escola naquele ano. Ao longo dos encontros, os estudantes desenvolveram as habilidades técnicas e artísticas relacionadas ao cinema e ao audiovisual, e promoveram vivências nos rios da comunidade com o objetivo de investigar as memórias dos mais velhos sobre o uso dos rios. O resultado foi a criação de um filme curta-metragem chamado Rio de Memórias, que pode ser visto baixo, na aba "Filmes" ou nesse link.

Em 2019, o projeto se integrou ao movimento de renovação pedagógica promovido em toda a escola, e se constituiu em um dos eixos estruturantes das metodologias ativas que complementam o processo de ensino-aprendizagem desenvolvido em sala de aula.
Nesse ano, o Grupo de Cinema do Lina criou o Canal Viva Quilombola!, um espaço de compartilhamento dos vídeos educativos feitos na ou a partir da escola, trabalhando temas como a cidadania, a saúde, os direitos humanos, a identidade quilombola e o protagonismo juvenil.

Através desse canal, estudantes da escola passaram a comunicar para a comunidade diversos aspectos e processos do cotidiano escolar a partir do seu ponto de vista, bem como estimulou a produção de trabalhos audiovisuais integrados aos conteúdos das disciplinas e a criação de filmes sobre a cultura do quilombo Gurugi-Ipiranga.

 


 

FILMES

Fotos